Buscar

CCC chega aos 18 anos neste 31de maio!

Grandioso e repleto de significados, 31 de maio marca o aniversário em nosso Polo Petroquímico do comprometimento formado pelos voluntários que dão vida ao CCC - Conselho Comunitário Consultivo.


São pessoas que representam as cidades vizinhas ao complexo industrial, moradores de Triunfo, Montenegro, Nova Santa Rita e das comunidades do Entorno com acesso às informações sobre as atividades das seis empresas que compõem o Polo (Arlanxeo, Braskem, GS Inima Brasil, Innova, Oxiteno e White Martins) relacionadas à saúde, segurança e meio ambiente.




Para o desenvolvimento dessa função, os conselheiros são capacitados e recebem informações técnicas para mais conhecimento sobre o funcionamento das companhias.

Pensando no aniversário de 18 anos e na maturidade que ele representa do nosso grupo, durante a última semana, nossos conselheiros foram desafiados sobre qual seria real significado do CCC para o mundo atual em que vivemos e assim foram definindo em uma única palavra o trabalho que é realizado (veja o vídeo clicando aqui https://www.youtube.com/watch?v=avRcCRJOxoo).


Para a Conselheira Maria Helena Bonato Barreto, de Triunfo, o conhecimento é o diferencial do grupo. Marilene Michel da Silva de Nova Santa Rita enfatiza a solidariedade e Leila de Oliveira Regla, também de Nova Santa Rita, enaltece o CCC como um veículo de comunicação.


A diversidade do grupo faz o Conselheiro Luiz Augusto Müller, também de Nova Santa Rita, conclamar e falar em superação, assim como seu colega Sérgio Luís dos Santos Oliveira, de Triunfo.


Os conselheiros são as pessoas que, em cada cidade, estão à disposição da população para esclarecer dúvidas sobre o Polo, evitando a circulação de informações dispersas e conectando empresas e comunidades.


Clarice Olandia Biehl, de Montenegro, aborda o comprometimento e Claudete Fernandes de Oliveira, de Nova Santa Rita, prioriza como palavra-chave o trabalho do CCC como gratidão. Joceara Genro da Silva, do entorno do Polo, lembra do comprometimento do grupo com a informação e Jucilene Kuhn Rambor, de Triunfo, não esquece do aprendizado que é passado para as comunidades.


Para a Conselheira Kelly de Assunção de Souza, o fato de atuar no CCC é estar muito próximo da verdade. “São anos de doação, de muito tempo e aprendizado trabalhando em prol da comunidade”, enfatiza. Agádio Albino Kraemer, de Montenegro, define o CCC como um grupo que transcende orgulho e Márcia Krüger, de Nova Santa Rita, lembra do trabalho sério que é feito nas comunidades. Tudo isso é realizado, lembra a conselheira Maria Angélica Soares Ramirez Brizola, do entorno do Polo, em virtude da confiança depositada no grupo de trabalho.


A Conselheira Iara Rejane Stertz tem alegria em falar do Conselho, pois participa desde a sua fundação. “Tenho muita gratidão e orgulho nesses 18 anos, desde o início da formação do CCC, pois ele tem um propósito de transformação social. É um conhecimento mútuo entre a comunidade e as empresas, envolvendo sempre muito aprendizado”, declara.


Para Luiz Alberto Bombardieri de Nova Santa Rita, a contribuição do CCC é o grande diferencial e para a conselheira Maria Terezinha Kraemer Canello, de Montenegro, tudo isso não existiria se não houvesse muito respeito pelas causas importantes.


Silvia Taís Reinehr de Moraes, do Entorno do Polo, lembra que o Conselho Comunitário Consultivo é acima de tudo um veículo de ligação e Antônio Luís dos Santos Castro, conselheiro de Triunfo, enfatiza o aprendizado mútuo.


Nesse jogo de palavras, em um grupo motivado, comemorando 18 anos de história, Odila Lourdes Rubin de Vasconcelos, de Triunfo, fala no fato do CCC ser agregador, Júlio Padilha, também de Triunfo, na oportunidade em transpor barreiras, Ingrid Cristina Schenkel, de Montenegro, na empatia do grupo e Valdair Morais Santos, de Nova Santa Rita, na qualidade da informação que é passada.


Rosemari de Almeida Herrmann, de Nova Santa Rita, é mais uma conselheira a enfatizar o aprendizado, assim como sua colega de cidade, Patricia Pereira, que enaltece também o conhecimento.


Rafael Alexandre Kebach, de Montenegro lembra que não podemos esquecer de um diferencial: a sustentabilidade, mas tudo isso só é possível, recorda Pedro Canízio Dias de Carvalho, de Triunfo, em virtude da integração do grupo.


O CCC só existe lembra a conselheira Mariza de Paula Moraes, de Triunfo, em função da comunidade e Vagner Wasum, do entorno do Polo, afirma que é possível em função da independência que é dada para o grupo.


Para o Diretor Administrativo do COFIP RS/Comitê de Fomento Industrial do Polo, Sidnei Anjos, a grandiosidade do Polo Petroquímico, suas características sociais e econômicas do seu complexo industrial, abrangência e amplitude passam pela grande colaboração dos conselheiros e pela história do CCC. “O mundo está cada vez mais atualizado e o grupo cada vez mais motivado”, declarou.