top of page
Buscar

Programa de incentivo ao setor químico gera investimento da Innova no RS

Com manutenção do Reiq, empresa expandirá produção de plásticos em unidade de Triunfo


por Rafael Vigna - site GZH (link)


Fruto de muita polêmica, quando houve a tentativa de descontinuá-lo, em 2022, o Regime Especial da Indústria Química (Reiq) foi um dos programas de incentivo que conseguiram angariar elementos para permanecer vigente.  


Há dois anos, quando o então presidente, Jair Bolsonaro, chegou a vetar a prorrogação dos efeitos, mas, pressionado pelo setor, acabou voltando atrás, o cálculo da Abiquim indicava que a revogação teria potencial de sobra para cortar 9 mil postos de trabalho gaúchos e reduzir em R$ 2,1 bilhões o valor de produção na economia do Estado. O benefício foi criado em 2013 para diminuir as alíquotas de PIS e Cofins, o que não acontece sem que haja renúncia fiscal por parte do governo.


Em agosto do ano passado, um decreto assinado pelo vice-presidente e ministro Geraldo Alckmin reativou o Reiq com algumas novidades. Agora, o programa também prevê possibilidades adicionais para empresas que investirem na ampliação de suas unidades ou em novas plantas que utilizem gás natural para a produção de fertilizantes. Na sexta-feira, os três primeiros projetos desta nova etapa foram aprovados. Todos pertencem à Innova, que vai expandir a produção de plásticos nas unidades de Manaus (AM) e Triunfo (RS), num investimento total de R$ 49 milhões. Nos três casos, a empresa apresenta soluções para aumentar a sustentabilidade dos produtos.

Posts recentes

Ver tudo

Opmerkingen


bottom of page