Buscar

Braskem Recicla pretende recolher 12 toneladas de lixo na Orla do Guaíba, em Porto Alegre

Matéria do Jornal Correio do Povo - Taís Teixeira 27/11/21

Coleta deverá gerar R$ 20 mil em renda para a Associação de Catadores e Recicladores da Vila Chocolatão


Um dos pontos mais movimentados de Porto Alegre, em especial nos fins de semana, a Orla do Guaíba, tem reunido milhares de pessoas que buscam lazer, mas que não cooperam para manter o local limpo. Prova disso é o alto volume de lixo que se recolhe nas segundas-feiras. Para evitar esse descuidado com o espaço e conscientizar a população da importância ambiental em conservar a cidade limpa, incluindo a correta destinação dos resíduos sólidos, a Braskem, em parceria com a Solos - startup baiana que desenvolve soluções inteligentes para a gestão de resíduos, lançou a primeira edição do Braskem Recicla em Porto Alegre, na Praça Júlio Mesquita, em frente à Usina do Gasômetro, neste sábado.


Braskem Recicla pretende recolher 12 toneladas de lixo na Orla do Guaíba, em Porto Alegre | Foto: Ricardo Giusti

Com uma estrutura própria instalada no lugar para receber resíduos sólidos, como plásticos, embalagens entre outros, a iniciativa visa incentivar as pessoas a jogarem o lixo resultante do pós-consumo (como garrafas pets, latas, papéis) nos locais adequados e não no chão. A meta é coletar 12 toneladas de resíduos e gerar R$ 20 mil em renda para a Associação de Catadores e Recicladores da Vila Chocolatão com a venda do material.


O gerente de Relações Institucionais da Braskem no Rio Grande do Sul, Daniel Fleischer, ressalta que a Braskem faz parte da cadeia do plástico e investe em iniciativas como essas para evidenciar que a reciclagem existe no Brasil e funciona, por meio de um modelo eficiente de resíduos plásticos.“Esse material chega às cooperativas, que fazem a triagem e encaminham para a indústria, onde são transformados em outras aplicações”, detalha. Por isso, essa ação é para elucidar que esse lixo seco, se for descartado de forma correta, vai ser aproveitado. “ Vai se transformar em trabalho e renda, que é o que preconiza a Política Nacional de Resíduos Sólidos no país”, destaca.


Siga lendo a matéria completa no site do jornal Correio do Povo, clique aqui.